Revolução na América Latina nos anos 1980: estratégia e táticas

Fuente: Germinal: Marxismo e educação em debate, v.15, n.2, pp. 663-674, ago. 2023. Disponible en: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/56264/29962.

Publicado originalmente en Gilbert, Jorge (ed.) (1982), Social movement, social change: the re-making of Latin America, Toronto, Two Thirds Editions, pp. 91-110, con el título “Revolution in Latin America during the 80’s: strategy and tactics”. El texto en inglés está disponible en: https://marini-escritos.unam.mx/wp-content/uploads/2022/01/7-Revolution-in-Latin-America-during-the-80s-Strategy-and-Tactics-3 1-de-marzo-de-1982.pdf.

Traducción al portugués: Pietro Salles.

Revisión técnica de la traducción: Rodrigo Castelo.


Eu devo começar falando esta noite sobre o processo revolucionário da América Latina. Começarei afirmando que esse processo faz parte do processo revolucionário socialista mundial. O que me interessa basicamente esta noite é trazer à discussão a contribuição específica que o processo latino-americano está dando aos processos revolucionários socialistas mundiais.

Os meios da revolução, como sabemos, são basicamente dois: pelas reformas e pela força armada.

Quando falamos de reformas, ou seja, de reformismo em sentido estrito, estamos falando de mudanças graduais ou progressivas na sociedade capitalista. Essas reformas, por um lado, apontam o caminho para tal, por outro, asseguram a conquista do poder por parte das classes revolucionárias. Isso ocorre com rápidas mudanças até que a classe dominante seja deslocada pelos setores revolucionários que estão tomando seu lugar.